sexta-feira, 14 de março de 2014

Qual a melhor gasolina para a sua moto?



Me diga uma coisa, você sabe qual a diferença entre as diversas gasolinas existentes no nosso mercado? Qual é a melhor para a sua moto? Tenho certeza que esses questionamentos já passaram pela sua cabeça! A nossa intenção é desmistificar e esclarecer, de uma vez por todas, os mitos existentes em relação à gasolina brasileira não adulterada.


Tipos de gasolina

Existem basicamente três tipos de gasolina no Brasil, são elas: a COMUM; ADITIVADA; e a PREMIUM.

A gasolina comum é praticamente igual para todas as marcas, pois vem da mesma fonte: Petrobrás.

A gasolina aditivada é a gasolina comum que recebe um pacote de aditivos detergente / dispersante, que mantém limpo todo o sistema de alimentação de combustível, incluindo bicos injetores, válvulas de admissão, câmera de combustão, cabeçote e carburador, evitando a formação de borra. A octanagem da comum e da aditivada é a mesma: 87, no mínimo.  

A gasolina premium também traz detergentes que atuam na limpeza do sistema, assim como a aditivada, porém tem mais octanas, 91 no mínimo, que são aproveitadas em motores com maior taxa de compressão. Essa gasolina também emite menos enxofre durante a queima, causando menor impacto ambiental e poluindo menos.  A título de exemplo, a gasolina Podium da Petrobras possui 95 octanas, sendo a de maior octanagem vendida no Brasil para uso automotivo.

O que é octanagem? 

É a resistência que a gasolina tem a auto-ignição. Ou seja, quanto a gasolina agüenta de pressão antes de detonar (explodir). A detonação é mais conhecida como “batida de pino”. Sendo assim, um motor com maior compressão que o normal, com taxa acima de 10:1, exige uma gasolina de maior octanagem, evitando, com isso, a “batida de pino” e mantendo a potência e desempenho desse propulsor!

Depois de aprender que existem três tipos de combustíveis nos nossos postos, a gente pode ter a noção clara que um determinado tipo de combustível pode influenciar no rendimento do motor e ajudar na manutenção de veículo.

Caso a sua moto não seja ajustada de fábrica para trabalhar com alta taxa de compressão, a gasolina premium não será um fator influente no desempenho. Assim como a aditivada, ela ajudará apenas na limpeza do sistema de alimentação do motor, e poluirá menos. Por isso, é fundamental olhar no manual do proprietário se há recomendações sobre qual a octanagem da gasolina indicada para a sua moto. Ela agradece e o seu bolso também!

É bom reforçar que todos os tipos de gasolina vendidos no Brasil, por lei, têm adição de álcool anidro. Essa proporção pode variar de 20% até 25%, conforme determinação do governo.

Tipos de gasolina aditivada.

Como falamos anteriormente, toda a nossa gasolina é fabricada pela Petrobras, com raras exceções, sendo diferenciadas apenas pela aditivação de cada bandeira de postos de distribuição.

Esses aditivos são basicamente de dois tipos: os xampus limpantes, que limpam os resíduos da explosão, descarbonizando velas e válvulas; e os redutores de atrito, que são os aditivos que dão um jeito para que o cilindro / pistão “escorreguem” melhor. Redução de atrito significa melhor rendimento do motor, menor consumo! Embora todas as bandeiras vendam gasolina aditivada, você tem que prestar atenção, pois nem toda aditivada tem esses dois aditivos. 

Quando fazemos a comparação entre as marcas, vemos que a maioria das aditivadas oferece apenas o xampu limpante, conforme a tabela abaixo:


Afinal, depois de falarmos tanto, com qual gasolina eu devo abastecer a minha moto?

Se o motor da sua moto não funciona com alta compressão, utilizar gasolina premium só vai fazer você gastar mais dinheiro. Dê preferência à gasolina aditivada, principalmente aquela que possuir os dois tipos de aditivo (xampus limpantes e redutores de atrito). Para que abastecer com uma gasolina mais cara se ela não fará com que o motor tenha um melhor rendimento?

Dicas: 

1 - se você vem usando gasolina comum há muito tempo na sua moto, não troque para aditivada rapidamente, sob pena começar a soltar um monte de sujeira, podendo entupir o seu carburador ou sistema de injeção. Quando for abastecer, coloque 80% de comum e 20% de aditivada, e vá usando. Nos próximos abastecimentos, vá aumentando a proporção de gasolina aditivada e diminuindo o da comum;

2 - embora eu tenha realizado uma pesquisa a respeito da validade da gasolina, o que os fabricantes falam é que por ela ser vendida a granel, não há como se determinar um prazo de validade. O que a gente sabe é que a gasolina parada deteriora as suas propriedades. Quem tem carro flex com certeza já presenciou que a gasolina, no tanquinho pouco usado, fica uma verdadeira gosma! No geral, a dica para quem vai deixar a sua moto parada por mais de três meses é deixar o tanque com gasolina premium. É consenso que o prazo de validade desse produto é muito superior, chegando até a um ano. Não se esqueça de abastecer com essa gasolina e ainda rodar um pouco para eliminar do seu sistema a gasolina anterior; e

3 - utilizar a gasolina comum só quando você não tiver outra opção e, mesmo assim, cuidado com a "cara" do posto, pois infelizmente a gasolina adulterada é uma realidade. O seu motor agradece!

Fontes de Pesquisa: Wikipédia; sites de fabricantes de combustíveis; viagemdemoto.com; e outros especializados em motos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário